“Destination” prévia de casal: muito amor em Pirenópolis






By Gabrielly Ribeiro

Fotos: Ernani Rocha Fotografia

Oi, oi, pessoas!! Voltei! Desculpem a ausência, mas eu estava ali casando. Rs
 
É isso mesmo, gente! Meu dia finalmente chegou e passou muito rápido!

O bom de tudo isso é que poderei falar de diversos aspectos do nosso casamento aqui com vocês, em diversos posts.

Bom, o primeiro assunto que quero abordar com vocês é a prévia de casal. Agora que já passou o casório posso mostrar as fotos - fui proibida pelo meu antes noivo, agora marido – ainda não acostumei com a ideia - , por que era surpresa para a decoração do salão, mas agora apresentarei para vocês essas obras primas do nosso fotógrafo Ernani Rocha.

Se eu puder dar um conselho, digo: FAÇAM A PRÉVIA! Gente, é o primeiro contato bem direto que vocês têm com o casamento, pois aquelas fotos são o início do grande dia de vocês. Tá, eu sei que os preparativos são parte do contato direto também, mas a prévia é especial. Explico:

No dia da prévia a sintonia do casal se mostra. Somos “obrigados” a namorar – até parece que é um sacrifício né? -, a trocar olhares profundos, a sorrir um para o outro, a abraçar, a beijar, a acariciar. Eu não tinha noção do quanto as fotos nos uniriam ainda mais como casal. Ali percebemos o quanto era real tudo que estava acontecendo: Ele era meu e eu dele.

Mas vamos logo ao que interessa mais: onde fazer as fotos? Vale a pena fazer as fotos fora de Brasília? A resposta é: Para nós valeu demais!

Como o próprio título já diz, fizemos nossas fotos em Pirenópolis. 

Por que Pirenópolis? Dentre tantos outros motivos, por que:
- ela propicia fotos em diversos estilos, como vocês verão;
- ela tem mais de 80 cachoeiras que podem servir de um cenário perfeito para as fotos;
- a estrada para lá também tem locais lindos que rendem fotos perfeitas;
- se não quiserem cachoeira, podem tirar foto na Pousada Villa do Comendador, que também é uma graça;

Ainda não consegui convencer vocês? Então vejam as fotos:

Na estrada para Pirenópolis encontramos uma plantação linda de eucaliptos. O resultado? Vejam vocês mesmos:

   

 

É ou não é lindo?

DICA: Separem roupas para vocês que combinem. Isso traz harmonia para as fotos. Para fotos de dia, o ideal é que ao menos uma das composições seja de roupas com estampa ou cores mais fortes.

Seguindo, além dos eucaliptos, a própria estrada foi cenário para as nossas fotos, vejam:

   
Esta foto é cheia de simbolismos. Estávamos nos preparando para um novo caminho, uma nova estrada, a formação de uma nova família. Faz muito sentido, né?

Estilo de fotos é algo muito peculiar, mas eu simplesmente amo essas fotos minimalistas, diferentes. Acho que são encantadoras e muito charmosas.
E se eu disser que é possível tirar as fotos mais perfeitas num milharal perto de lá??

Percebam o contraste do verde com o céu azul e a estampa e colorido das roupas. Fica ou não fica lindo? 



O centro da cidade é também um espetáculo à parte. A igrejinha, as casinhas, a praça...



Adoro esse ar de cidadezinha do interior que Pirenópolis tem. Deixa tudo tão romântico, né?



Ou vocês gostam de fotos nas montanhas? A estrada para as cachoeiras também proporciona isso, acreditam? Olhem só:





As fotos ficam lindas, em preto e branco ou coloridas, gente! A paisagem, a árvore seca, as montanhas, tudo isso traz o romantismo necessário para esse momento único. Até o arame da cerca serviu para completar as nossas fotos. Perfeito demais!

Pelo que puderam ver até agora, a cidade não é só cachoeiras, mas as quedas são a principal atração, né? Escolhemos, dentre as 82 cachoeiras de Pirenópolis, a cachoeira do Abade para as nossas fotos. Lá, já na entrada, pudemos fazer cliques lindos, na casinha da recepção. Olhem só isso:







DICA 2: Para as noivinhas, é legal levar um vestido clarinho (branco, off ou creme). Isso por que tais cores remetem ao vestido de noiva e difere esse ensaio tão especial de qualquer outro que quiserem fazer ou já fizeram. Tentem, também, levar uma camisa clara para o noivo, para trazer harmonia para os cliques.
 
E depois de fotos tão lindas, ainda nem havíamos chegado na cachoeira. Quando chegamos, ficamos até fechar e conseguimos o lugar todinho só para nós... Imaginem só! A cachoeira toda para nós dois. Então...

DICA 3: Se optarem por Pirenópolis para as fotos de vocês, o ideal é ir em dia de semana, pois as cachoeiras ficam mais vazias e isso impede que intrusos apareçam nas suas fotos. Foi o que conseguimos, indo em uma segunda-feira. =)

Gente, quem conhece a cidade sabe que a água é bem fria, mas nos aventuramos e entramos aos pouquinhos, por completo - inclusive o Ernani, nosso fotógrafo "topa tudo", que ficou só com a câmera do lado de fora da água para fazer os cliques. kkkk -, e o resultado foi surpreendente. Vejam:












 

E o tanto que nos divertimos tirando essas fotos, gente? Até foto pulando o Ernani conseguiu tirar e quem me conhece sabe o quanto é difícil tirar foto minha pulando, por que não tenho coordenação. kkkkkkkkk



OK, OK, me empolguei só um pouquinho! Rs

Mas se ainda não estão convencidos, que tal fotos ao pôr do sol?





E, para finalizar, as fotos mais lindas de todos os tempos. Rs – P.S: Eu enchi muito a paciência do marido e do Ernani para que tirássemos elas:

 Dá para fazer um quadro com essas fotos, gente!!!


E aí? Convencidos de que Pirenópolis é uma boa opção? Rs

Nós amamos a experiência, gente! Saímos de Brasília por volta de 9:30 e retornamos por volta de 18h30. Conseguimos pegar muitos tipos de iluminação e paisagem. A cidade é um encanto, fica pertinho daqui e, de quebra, foi para onde viajamos pela primeira vez quando namorávamos.

Espero ter ajudado vocês com a inspiração para as fotos. Valeu cada segundo!

Até a próxima!!





Cartinhas Personalizadas para Cada Convidado!!!!! - CASAMENTO GUIM (Post 8 de 14)

O móvel das cartinhas, um móvel que se tornou o melhor momento da festa.

Essa foi a maior atração do casamento. Foi com essa ideia simples que os convidados se emocionaram e que recebemos mais de 90 recadinhos. Quer saber como foi? Então é só continuar lendo. 

Como toda noiva, passei centenas de horas pesquisando por referências na internet. Achei muita coisa legal e hoje vou falar sobre esse móvel.





Eu me encantei com ele (tenho uma queda por coisas vintage) e o queria de qualquer jeito no meu casamento. Acredito que era apenas um elemento de decoração, mas pra mim, além de bonito precisava ter um propósito. Foi aí que pensei nas cartinhas. Tive a ideia de escrever um recadinho para cada convidado. E isso se encaixou muito bem na proposta do casamento por diversos motivos. 

1- Não há tempo para falar com cada convidado. Então essa era uma maneira de falar com cada um. 
2- Eu queria que meu casamento fosse inesquecível, marcante e surpreendente. E eu nunca tinha recebido uma cartinha em um casamento. Seria pelo menos uma surpresa.
3- Eu adoro coisas personalizadas. 
4- Eu queria que os convidados guardassem a lembrancinha do casamento para sempre e que ela não tomasse muito espaço na casa das pessoas. 

As cartinhas eram tudo isso.

Já que eu iria fazer mesmo aquela loucura de escrever para cento e muitas pessoas (até aqui não sabíamos ao certo quantos compareceriam, mas esperávamos pelo menos 150 confirmados) eu iria fazer direito. 

E a ideia foi se construindo assim:


Envelopes
O primeiro passo foi comprar os envelopes. Definimos as cores e minha mãe os trouxe de uma viagem para o exterior. Infelizmente não achamos o tamanho que ela trouxe aqui no Brasil. Aqui todos os envelopes são grandes demais (para mantermos as gavetinhas não muito grandes) ou pequenos demais (para caber uma folha A4 dentro). 



Os carimbos
Juntando o meu gosto vintage (que não é compatível com o gosto do noivo, e que eu precisava aproveitar que nesse momento eu poderia fazer o que eu quisesse – heheheh) com as cartinhas, resolvi pesquisar referências de cartas. E vi que duas coisas não poderiam faltar. Uma delas era o carimbo. Pesquisei vários na internet. E encontrei estes.





Mudei o que estava escrito dentro (com a ajuda da minha prima e da loja que fazia os carimbos) para Casamento Guim 04.10.15. 




Nota: Guim é o nosso apelido carinhoso. E 04.10.15 é a data do nosso casamento.

O outro carimbo deveria ser o selo que ficaria na frente da carta, fechando o envelope. A princípio eu gostava muito da ideia do selo de cera. Como este aqui:



Mas esbarrei em dois problemas. O sinete (é o nome que se dá ao carimbo de cera) personalizado era muito caro. E a cera era muito cara também.

Imaginem isso para mais de 100 envelopes! Tive que desistir dessa ideia e partir para outra. Foi aí que optei por transformar o monograma já criado pela queria Gabriela (contarei mais sobre ela no post que falarei dos convites) em carimbo. 

Para ver o monograma (também utilizado no convite de papel semente) clique aqui.

Para transformar algo em carimbo é só mandar o arquivo em PDF ou Photoshop para qualquer loja que faz carimbos e eles fabricam. Meus dois carimbos saíram menos de 10 reais cada. E ficaram prontos em 24h. É preciso pesquisar bastante, pois cheguei a receber orçamentos de 80 reais por carimbo. 


Os selos

Os selos eram a outra parte que não poderia ficar de fora. Eu pesquisei “penguim stamps” na internet. Que quer dizer selos de pinguim.

Nota: Guim (nosso apelido) é uma supressão da palavra “pinguim” que foi o primeiro bichinho de pelúcia que ganhei do namorado - noivo - agora marido. Por isso os selos de pinguim. 

Dica: Se puder, pesquise sempre em inglês, aparecem muito mais coisas do que em português. 

Achei vários selos. Escolhi os mais bonitinhos e com os tamanhos mais parecidos. Organizei todos em um arquivo de Word copiando-os várias vezes. Depois imprimi em folha adesiva, cortei um por um e voilá, tínhamos váaarios selos para usarmos. 





O móvel em si

A primeira tentativa foi procurar em antiquários. Rodei a Asa Norte, Asa Sul, Taguatinga e NADAAAAAAA. Nada nem próximo do que eu queria. A solução então era mandar fazer. Passamos por diversas lojas de móveis planejados, nosso projeto foi recusado por várias delas, com as mais diversas justificativas: “é muito trabalhoso”, “fazer tantas gavetinhas não vale a pena”, “não fazemos móveis antigos”. Eu precisava das gavetinhas, pois cada gavetinha seriam duas letras do alfabeto. Igual ficheiro antigo de biblioteca. 

Enfim encontramos algumas pessoas que toparam fazer, no entanto, recebemos orçamentos de 2 mil até 4 mil reais. Ficou caro demais pra mim. Fiquei frustrada, triste, brava (coitado do noivo). Mas o noivo me convenceu que acharíamos outra saída. Começamos a rodar a cidade e olhar coisas de decoração, outros móveis... E a ideia foi tomando outro rumo. Decidimos que faríamos com objetos em cima de uma mesa mesmo. E compramos os objetos. Entre eles:

O Livro - que seria usado para colocarmos os envelopes resposta. Hoje ele está na nossa casinha com as cartinhas que recebemos. 

O desenho do livro tem as mesmas cores dos envelopes e ele é cheio de carimbos, o que completa a ideia perfeitamente. Compramos na feira dos importados, mas depois achei mais barato L em uma loja na Asa Sul. 


Potinho das canetas – sobrou do noivado. 

As almofadas e a cola - Usamos durante a “confecção” das cartas, depois criei o selo com o monograma e colocamos na bandeja. Aproveitei os adesivos criados para o Kit toilette que eu fiz sozinha também (confira aqui o post). 

Bandeja - Quando estive em SP a trabalho aproveitei para ver as forminhas dos doces e comprar as bandejas do kit toilette. Eu queria duas (banheiro masculino e feminino), mas o kit com 3 era mais barato. Foi ótimo, pois acabei utilizando a menor para o móvel das cartinhas. Colocamos dentro os carimbos, almofadas de tinta e cola. 


Latinha de selos – Precisava de algo para colocar os selos (caso as pessoas quisessem entrar na brincadeira e responder a cartinha carimbando e colando os selos). Encontrei, também na Asa Sul, essa latinha. Ela ficou perfeita para a ocasião. Acho que paguei 10 reais.  



Porta-retratos “explicando” a mesa. 

Um foi o dizendo que tinha uma cartinha para cada convidado. GuimMail foi uma referência ao Gmail (aqui ficou evidente a parte “Nerd” do meu marido – hahahah). 

O outro foi convidando as pessoas a deixarem suas respostas. 

Os porta-retratos eu comprei de uma noiva e as frases nós criamos e imprimimos.

Clique na foto para aumentá-la:

 

Dividirmos as cartas por letras em 5 espaços. 

A bicicleta – Quando vi morri de amores. Não foi nada barata (200 reais), compramos em uma loja de artigos para festas na Asa Sul. Era ótima, pois tinha dois espaços para as cartinhas.


As gaiolas – Minha mãe já as tinha comprado para a decoração do meu noivado (se quiser veja o post aqui). Comprou em São Paulo. Usamos duas para colocarmos partes das cartinhas e uma para o correio resposta.


O pote de cerâmica- Também comprado em uma loja na Asa Sul, se não me engano foi por volta de 30 reais. A frase dele é perfeita para o momento, por isso o escolhi. Compunha legal a mesa por não ser transparente (as gaiolas e o pote de vidro eram).

O pode de vidro (correio resposta) – Comprado na tok stok, acho que custou 60 reais. Gostei do cordão de sisal. Fazia um contraste legal por ser vidro. 


E assim a mesa ficou completa. 





Escrevendo as cartas (a parte mais difícil): 

Eu e o noivo começamos a escrever as cartas. Quando eram casais, na maior parte das vezes escrevíamos uma carta para o casal. No nosso caso foram 160 pessoas confirmadas. No fim 3 casais e duas pessoas não puderam comparecer, sobrando então, 5 cartinhas. 

Convidados: Vejam a importância em confirmar a sua presença. Chamamos mais de 200 pessoas, não escreveríamos carta para todas, mas apenas para aquelas que confirmaram presença. 

Para algumas pessoas a carta tinha um parágrafo, para outras a carta tinha 4 ou 5. Mas todas eram realmente personalizadas, não copiamos mensagens de nenhum lugar. 


O resultado: Os convidados se surpreenderam. Nós nos surpreendemos. Os convidados entraram na brincadeira, choraram (MUITO) e riram bastante também. Escreveram respostas, usaram os carimbos, o selo, a cola... Foi demais!

Foi lindo. Muitas pessoas vieram nos falar como aquilo era delicado e como tinham se sentindo importantes. Ficamos muito felizes. Tinha dado muito trabalho, mas vimos o retorno. Achávamos que receberíamos umas 20, 30 cartas resposta. Afinal, quem para no meio de uma festa de casamento para escrever uma carta? Para a nossa surpresa recebemos 90 cartas resposta. Algumas pessoas não responderam por carta, mas nos mandaram e-mails, mensagens respondendo. 



















Levamos as cartas para a lua de mel o que nos rendeu muita diversão no voo para Paris (clique aqui para saber como foi a lua de mel - em breve).





Um agradecimento especial à minha mãe que colocou os selos e carimbou os envelopes deixando tudo mais fácil pra nós depois. 

Se você quer fazer algo parecido, aqui tem outras ideias de como colocar as cartinhas no seu casamento. 

Gostou da ideia? Você gostaria de receber uma cartinha? Você adotaria essa ideia no seu casamento? Então deixe a sua opinião. Escreva um recadinho aqui pra mim.


Em breve mais detalhes sobre o nosso casamento :) 



Gostou do post? Leia outros que escrevi:


Outros posts da série CASAMENTO GUIM - é só clicar que abrirá em uma nova aba:

Quer saber sobre as exigências da igreja católica, o curso de noivos e muito mais?
Casando na igreja católica

Quer saber sobre o meu noivado? Então confira os seguintes posts:

Gostou dos meus posts? Veja mais dicas aqui: 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...